Cardozo defende controle de armas e pena maior por uso ilegal de armamento pesado

Após morte do traficante Playboy e a prisão do traficante Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu nesta terça-feira (11) penas mais duras para quem utiliza armamento pesado, cuja comercialização é proibida.

Na operação de prisão do traficante Fu, no Rio de Janeiro, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) apreendeu diversos armamentos pesados, entre os quais fuzis capazes de derrubar um helicóptero.

“Somos absolutamente favoráveis a um apenamento maior de quem utiliza armas proibidas, armamento pesado. Se de um lado temos que trabalhar para termos menos armas entre a população, por outro lado temos que ter penas mais duras para aqueles que utilizam armamento pesado”, disse Cardozo antes de participar de audiência na Câmara dos Deputados.

Atualmente a pena para a posse ou uso de arma de fogo de uso restrito é de 3 a 6 anos de prisão. O ministro da Justiça destacou também a importância do controle do tráfico de armas nas fronteiras do país, para evitar o fortalecimento de grupos criminosos.

“Muitas vezes temos nas fronteiras entrada de armas e armas que são apreendidas por corpos policiais e acabam voltando para o crime. O controle de armas é uma questão importante,” disse.

O traficante Fu da Mineira, preso pelo Bope nesta terça, era considerado a principal liderança de uma das maiores facções criminosas que atua no Rio de Janeiro e dominava o tráfico no conjunto de favelas do Lins, no Subúrbio. Na operação da PM, foram encontrados fuzis, munições e pistolas de uso restrito, ou seja, que não podem ser comercializadas devido ao alto poder de destruição.

Fu pertencia a uma facção criminosa rival à do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, morto no sábado (8) durante uma operação no conjunto de favelas da Pedreira, no Subúrbio.

Ele é apontado pela polícia como o responsável por confrontos nos morros da Mineira, do Fallet e da Coroa, no Catumbi e em Santa Teresa, no Centro do Rio, em maio deste ano. Estava foragido desde agosto de 2013, quando recebeu o benefício da progressão de pena para o regime semiaberto.

.

Compartilhe

Comente